Anterior                                                                ÍNDICE                                          Próximo

NOMENCLATURA DOS MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS

     Os Medicamentos Homeopáticos seguem a nomenclatura botânica, sendo então que, quando o medicamento for composto por gênero e espécie, o primeiro virá sempre com a primeira letra maiúscula e a espécie minúscula, deve ainda vir sempre destacado do texto, grifado, negrito ou entre aspas. Após o nome do medicamento segue-se a escala e a potência em que o medicamento foi preparado. Ex. Aconitum napellus C6

ABREVIATURA:

   Na Homeopatia é permitido o uso de abreviaturas, desde que não gere confusão.

   Ex. Aconitum napellus = Acon.                                                                                                         Arnica montana = Arn.                                                                                                                 Calcarea acetica = Calc. ac.

SÍMBOLOS E ABREVIATURA:

  • Glóbulo = glób.
  • Diluição = dil.
  • Dinamização = din.
  • Comprimido = comp.
  • Escala Centesimal = C ou CH 
  • Escala 50 Milesimal = Número romano / 50 000, onde: Número romano representando a potência /50 000, representando a escala. Também pode ser representada pelo símbolo LM, sendo que em nossa opinião representa um erro usá-lo, pois LM representa 950 e não 50 000.
  • Tintura Mãe = TM ou Ø
  • Método de fluxão contínua = FC
  • Método de Korsakov = K
  • Pastilha = past.
  • Solução = sol.
  • Tablete = tabl.
  • Trituração = trit.
  • Escala Decimal = D ou X, (DH usado erroneamente, pois a escala decimal, foi criada por Hering e o método usado em seu preparo também é de Hering e não de Hahnemann como afirmam). 

          SINONÍMIA: São denominações diferentes para um mesmo nome de um medicamento. 

          Ex. Lycopodium clavatum = Pes leoninus                                                                                         Pulsatilla nigricans = Anemona pratensis

      Obs. O emprego de sinonímias deve restringir-se aos constantes da farmacopéia ou de obras consagradas na farmácia e medicina, não podendo ser usados nomes secretos ou códigos proibidos pela legislação farmacêutica.